Chegou a hora da bicicleta?

Parece que sim, pelo menos os meios de comunicação estão dando cada vez mais ênfase nas notícias, matérias sobre mobilidade urbana e uso da bicicleta como solução para o nosso trânsito cada vez mais caótico.

No final de fevereiro foi realizado o 1º Fórum Mundial da Bicicleta em Porto Alegre. A data foi escolhida por fazer um ano do incrível atropelamento em massa feito por um motorista de Porto Alegre, que com o seu Golf Preto acelerou e atropelou uma centena de pessoas que pedalavam, e que por muita sorte, ocorreram apenas ferimentos leves.

Como se fosse algo do destino, a Massa Crítica daquela época ocorria com cerca de 100 ciclistas, mas depois do atropelamento ganhou mais força e houve um aumento expressivo de ciclistas passando a ter de 500 a 600 participantes sempre na última sexta-feira do mês.

A Massa Crítica é uma celebração da bicicleta como meio de transporte que ocorre em mais de 300 cidades ao redor do mundo. Ela acontece quando dezenas, centenas ou milhares de ciclistas se reúnem para ocupar seu espaço nas ruas e criar um contraponto aos meios mais estabelecidos de transporte urbano.

Muitos dizem que a bicicleta no trânsito é quase que uma metáfora à fragilidade e impotência de um indivíduo frente à oposição violenta de governos, corporações e outros sistemas de repressão. A Massa Crítica então serve para nos mostrar que quando nos juntamos e apoiamos uns aos outros, podemos fazer frente a qualquer oposição.

A Massa Crítica é organizada de forma horizontal, não tem representantes, porta-vozes, nem líderes. Ela não tem uma voz. Ela tem tantas vozes quanto participantes. Cada um é livre para levar a manifestação ou a reivindicação que quiser.

Durante o Fórum Mundial da Bicicleta, ao qual eu tive a grata satisfação de participar fazendo uma palestra sobre o ciclismo de competição, muito foi discutido, trocou-se muitas idéias e o principal: “chamou-se a atenção da mídia para a Bike”.

Centenas de repórteres estiveram lá para fazer matérias sobre a bicicleta e percebi nestes últimos tempos um grande aumento de notícias sobre o seu uso. A rede de TV Bandeirantes fez uma série especial durante uma semana inteira que passou durante o Jornal da Band. O Jornal Nacional da Rede Globo também exibiu uma matéria sobre isso. Estava no carro antes de escrever esta coluna, o Alexandre Garcia, comentarista da Globo e de várias rádios, falava da popularidade do ciclismo na Europa e do Tour de France. Acho que chegou a vez da bike.

Competição

E se chegou a vez da bike, ainda tive a grata notícia de bons, aliás, ótimos resultados do Brasil no Pan-americano de ciclismo de Pista em Mar Del Plata.

O quarteto Brasileiro formado por Armando Camargo, Leandro Silva, Thiago Nardin e Gideoni Monteiro, conquistou ma medalha de prata na prova de perseguição por equipes, fazendo um excelente tempo, 4min22s421 para os 4.000 metros, perdendo para o Chile que sempre tem estados entre os melhores tempos até nos mundiais, mas vencendo os donos da casa, a Argentina que terminou com a medalha de bronze.

Gideoni Monteiro

Outra grande notícia foi o OURO conquistado por Gideoni Monteiro, o atleta Sergipano de 22 anos venceu a prova de perseguição individual batendo o recorde brasileiro da prova de 4.000 metros, 4min35s863.

Até o momento em que escrevi esta coluna, eram estas as medalhas do Brasil, porém ainda não haviam terminado as competições, podendo ter conquistado mais algumas medalhas.

Depois de tantas notícias boas sobre BIKE, parece que chegou a nossa vez. VIVA A BICICLETA!!!

Coluna Ciclismo a Fundo publicado na Revista Bike Action.

 

Esta entrada foi publicada em Opinião e marcada com a tag , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>